Poesia

LUZ

Poema de João de Almeida Santos
Ilustração: “O Arbusto”. Original de minha
autoria para este poema, à procura 
da sinestesia perfeita. 
Janeiro de 2019.
licht7

O Arbusto. Jas. 01-2019

POEMA – “LUZ”

LUZ DO CÉU,
Muita luz
Descia por uma
Fresta
No coração
Do arbusto
Sobre meu
Olhar
Fascinado...

TÃO INTENSA
E brilhante
Ela era...
Como raio
(Ou quimera?)
Me cegou...
...............
E fiquei 
Aprisionado!

LUZ, MAIS LUZ,
Queria eu,
Era luz que me 
Faltava...
E ela
Esmoreceu
No meu olhar
Esmagado!

MAS FICOU DENTRO
De mim,
Num poema
Ou desenho
Esboçado,
Cores, traços, 
palavras,
Memória que 
Não tem fim...
.....................
Até que essa luz
Se apague
No arbusto
Do jardim...

LUZ, MAIS LUZ,
Insistia o poeta
Ao entardecer
Desse dia,
Quando a luz
Esmoreceu
E nela ele
Se perdia...

ERA VIDA
Que findava
Ou tempo
De despedida
Que cedo demais
Me chegava!

MAS A LUZ
Reavivou
Dentro de mim -
O meu sol-,
Renasceu
Nessas cores
E nas palavras
Que me saem
Cá do peito
E do fundo
Da memória...
.............
São poemas
Que te grito
E não ouves,
São cores
E riscos
Com que me rasgo
A alma,
São os sons 
Destas palavras
Com que
Ouço o teu 
Silêncio,
É pauta da melodia
Que já não sei
Soletrar...
...................
Por falta de ti,
Meu amor,
Que te negas
Ao olhar...
..............
P’ra que eu
Sempre te dance
Ao ritmo dessa
Saudade
Que me dói
Cada vez mais
Para melhor
Te guardar...

FOI ASSIM QUE
A LUZ
Voltou
P’ra iluminar
O arbusto
Que me tempera
A alma
Com suas folhas
Amargas,
Infusão de sentimento
Que me assalta
O corpo
Quando chega
A solidão...

REGRESSO, ASSIM,
Ao começo,
Tropeço na tua luz,
Ilumino-me a
Alma
E ponho fim
Ao desgosto
Dessa perda
Irreal
Que descobriu
No poema
Remédio
Para o meu mal.
licht7rec

Detalhe.

2 thoughts on “Poesia

    • Que belo comentário, Professor Teotonio! Como lhe fico grato! Devo confessar-lhe que a poesia se me revelou assim, na luz que descia do coração de um arbusto do meu jardim e que quase me cegava. É claro que este acontecimento trazia consigo uma forte carga simbólica. Muito intensa, no momento. Comecei a minha vida poética deste modo. E nunca mais parei. Não é por acaso que mantenho (manterei sempre) no mural do meu FB a foto desse instante e que o seu título é “Licht, mehr Licht”. Apesar de quase me cegar, queria mais luz, porque me faltava. O poema é sobre isso. Um regresso à fonte de inspiração original. “Sou quem sou” – Javé. A poesia também revela e no meu caso está associada irremediavelmente ao arbusto e à luz que desceu sobre mim. São sempre tão inspiradores os seu comentários, Professor! E, neste caso, atingiu o coração do poema e do desenho (do poeta e do pintor, para não dizer de mim próprio). Obrigado. Um abraço.

Deixe uma Resposta para ricardodealmeidasantos Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s