Do Brexit ao Inglexit?

JOÃO DE ALMEIDA SANTOS

Brexit

Ilustração trabalhada a partir de imagem de PublicDomainPictures. Jas. 02-2019

 

A PERGUNTA É LEGÍTIMA. Após o BREXIT, nenhum país da União Europeia tem o inglês como língua oficial (nativa) *, logo, esta língua vai deixar de ser uma das línguas oficiais da União Europeia?

Parece óbvio que sim. Se permanecesse como língua, qualquer membro da UE se poderia sentir invadido e colonizado por uma potência linguística estrangeira, quando, afinal, tem línguas internas que todos falam, como o espanhol, muito belas, como o italiano, sofisticadas, como o francês, ou clássicas, como o alemão.

Alguém me pode, pois, obrigar a falar inglês em actos institucionais no interior do território da União? Parece que não, mas temo que não haja consequências deste tipo para o BREXIT, ou seja, que não haja INGLEXIT, mantendo-se esta língua no território da União como potência linguística imperial, ocupante e colonizadora. Se tem de haver consequências pelo BREXIT, que haja e em todas as frentes! Algo parecido não aconteceu, no plano da economia, com o dólar, a moeda oficial no mercado internacional, ao passar a ter como concorrente de peso o EURO (em poucos anos, a relação já é, segundo o Livro Branco da União, de 30% contra 43% dos USA? Então? Não temos “moedas” linguísticas valiosas na União?

Ora aqui está uma boa oportunidade para se discutir com profundidade “A Questão do Império”, e não só do ponto político ou económico, mas agora também do ponto de vista cultural e linguístico, ou seja, no sentido da hegemonia, como a entendia Gramsci ou até o próprio Edward Said. Como diria o Fernando Pessa – e esta, hein? Já agora pensem nisso!

* Nota: As línguas oficiais da União Europeia, no Site da UE, 
neste momento: "As línguas oficiais atuais da UE são 24: alemão, 
búlgaro, checo, croata, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, 
estónio, finlandês, francês, grego, húngaro, inglês, irlandês, 
italiano, letão, lituano, maltês, neerlandês, polaco, português, 
romeno e sueco".

 

1 thought on “Do Brexit ao Inglexit?

  1. Caro Professor
    Era obrigatório o húngaro, romeno, alemão, etc antes de Brexit? Nem o inglês parece ter sido. As pessoas que preferem publicar em inglês/ americano são mais lidas. Para mim foi a única razão. É porque na Índia preferem o inglês 70 anos após Brexit.
    Quanto ao Fernando Pessoa ele continuou a dizer que a educação inglesa foi o melhor que lhe aconteceu na vida! E dos 5 livros que publicou durante a vida, 4 foram em inglês. E isto após o ultimato inglês e a humilhação nacional que levou à queda da monarquia e às convulsões políticas que seguiram.
    Teotónio R de Souza

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s