Poesia

PAIXÃO

Poema de João de Almeida Santos. 
Ilustração: “Cascata”. Original 
de minha autoria para este poema. 
Reproposição (com alterações) 
de um poema publicado há três anos, 
em resposta a um soneto de Ana de Sousa. 
Novembro de 2019.
Jas_Cascata22-Exp.

“Cascata”. JAS. 11.2019

MOTE - SONETO sobre a poesia 
de JOÃO DE ALMEIDA SANTOS

“Vinde cá meu tão certo Secretário”, 
Confirmai meu gosto de espelhar 
À Musa que recusa Amor notório 
Gritando ao Mundo o que não quero calar!  

De rosas, de loureiro, de jasmim 
De astral, de amargor, de doce fel 
As bagas, a folhagem, no jardim 
Onde abelhas obreiras fazem mel!  

Dizei o que tanto quero ouvir 
Que o que pensais, não quero, não! 
Escrevei que meu engenho repetir 

Só quero na rima, mil dores de coração. 
Enlace, ponto final, sem remédio é ir 
Do próprio veneno provar... em edição.” 
(AdS, 19.09.2016)

POEMA – “PAIXÃO”

ESPELHO MEU,
Espelho meu,
Vês dor mais forte
Do que a minha?
Não sabes que
Sem palavras
Nem tu me salvas,
Rainha?

PROVAR FEL
Em edição?
Tomei-o,
Nestes meus dias.
Castigo
Por afeição,
Derramado
Em poesias,
Palavras ditas
Em vão,
Estreitas sendas
Vazias...

INCAPAZ 
De as trilhar
Fui procurar
Novas vias,
Mas gastas
As encontrei,
Incertas
Em seu destino...
.................
Senti-me um pouco
Estranho
E perdi-me
Do caminho...

DEPOIS VIERAM
Flores...
.................
Tantas vezes disse
"Não!"...
Sempre falhei
Nos amores
E, agora, esta
Paixão!

NEM SEI 
O que aconteceu...
Um enigma,
Esse seu rosto!
Vi nele o que
Em mim faltava,
Tropecei,
Fiquei exposto,
Como ferida
Sempre aberta
Ao rubro o seu
Sangrar,
Uma dor que
Quando aperta
Põe palavras
A voar...

PALAVRAS
De vivas cores
Mais fortes que
Oração
Fortalecem-me a alma
Resisto mais
À tensão...

PROVAR FEL
Em edição,
Em poema
Amargurado?
Pois seja esse
O destino
E se foi o meu
Pecado
Será sempre
Desatino
Sofrer assim
Este fado!

TEM SABOR DE UM
Remédio?
Talvez tenha,
Não duvido,
Só alivia,
Não cura,
É afecto proibido,
Inclinação
Da mais pura
Em que me sinto
Perdido...

JÁ NÃO A VEJO
Nem ouço,
É luz que nasce
De mim,
Se passar
Eu fujo dela,
Procuro-a no meu
Jardim
Como arbusto florido
Sempre ali
À minha frente...
............... 
De ser planta
Robusta
Não tem defeitos
De gente,
É esguia,
Não é gorda,
Tem mil folhas
De cetim,
Espera-me sempre
De pé
Mesmo ao lado do
Jasmim!

PROVAR FEL
Em edição?
Se tem de ser,
Pois que seja
Lanço versos por
Paixão
Onde quer que
Ela esteja,
Sai de mim esta tensão
Como em cântico
D’igreja
Ou incenso que respiro
E quando m’inunda
Por dentro
É pro céu
Que eu me viro.

PROVAR FEL
Em edição?
É enlace
Do mais puro,
Resulta duma paixão,
Intensa no meu poema,
Talvez bela a canção,
Mas abraço sem futuro!
Jas_Cascata22-Exp.-cópia

“Cascata”. Detalhe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s