Poesia-Pintura

METAMORFOSE

Poema de João de Almeida Santos.
Ilustração: “A Ponte”.
Original de minha autoria
para este poema.
Julho de 2021.
Jas_04Metamorfose04062021

“A Ponte”. Jas. 07-2021.

POEMA – “METAMORFOSE”

CAMINHAS
Suavemente,
Tão irreal,
Sobre todas 
As cores
Que te dei.
És planta
De Jardim
Com perfume
Que eu sempre
Procurei...

TENS FLORES
Brancas
No corpo,
Aquelas de que
 Cuidei,
Alimento
De meus olhos
E aroma
Dos poemas
Que para ti
Cantarei.

CAMELLIA
É o teu nome.
Encontrei-te,
Desta vez,
Em profunda
Solidão,
Alvura
Tão luminosa
Que quase
Te desejei
Na palma
Da minha mão.

QUIS TRAZER-TE
Para dentro
Do poema,
Disseste
Logo que sim,
O encanto 
De um abrigo
Que é cuidado
Por mim. 
 
FALEI CONTIGO,
Dei-te palavras,
Apontei-te
O caminho
Pra vencer 
A solidão
Pois, tu,
Divina brancura,
Não sofrerias
A dor
Se viesses ao
Abrigo
E me desses
A tua mão...

CAMINHÁMOS
Juntos
Numa ponte
Prà outra margem
Da vida
Com passos
De liberdade
Que nunca
Pra nós seriam
Passos de
Despedida,
De tristeza
Ou de saudade.

VEJO EM TI
Uma mulher
Deslumbrante,
Recrio-te
Com afeição,
Pinto-te
Em movimento,
Quero-te livre
A voar
Ao sabor
Da inspiração,
É azul o teu
Caminho,
Levo-te eu
Pela mão.

ESSA PONTE
De papel
Que parece um
Arco-íris
Vai levar-te
Ao Jardim
Onde a cor
É alimento,
É como favo
De mel,
De meus olhos
O sustento
Quando pinto
O teu rosto
Com palavras...
..........
A pincel.

COMO VÊS,
A solidão
De uma flor
Pode ser libertação
Se a pintarmos
Com palavras
E lhe dermos
Muita cor
Com a força da
Paixão.

Jas_04Metamorfose04062021Rec

2 thoughts on “Poesia-Pintura

  1. Transcrevo, sensibilizado, o comentário do meu Amigo e conterrâneo Tó Zé Dias de Almeida: “Aqui de Vila do Conde, onde estamos durante Julho, terra de grandessíssimos poetas, uns aqui nascidos, Régio, por exemplo, outros que vinham e ficaram (Antero), outro que aqui casou e vilacondense se tornou, o enorme Ruy Belo…
    Mas agora, antes de mais nada, diria que gostei do teu poema de hoje. Com título adequado e chamativo as pontes são fundamentais para margens outras que se percepcionam no início do percurso para se consubstanciarem no fim em fabulosas realidades. Com Camellia caminhaste após a teres carinhosamente metido no teu poema… As inspiradas liberdades de que tu, ó poeta, te armas seja para atravessar uma ponte, seja para seduzir o coração de… uma flor que se metamorfoseia numa mulher deslumbrante. Magia absoluta que é dom de pintores e poetas… Cores e palavras… Palavras e cores para a libertação, cores e palavras que o poeta usa “com a força da / Paixão”. Bonito. Belo registo de pontes que se abrem para as margens das nossas emoções e dos nossos sentimentos”.

  2. Gosto deste teu modo de te adentrares no poema… por dentro (passe a redundância). Aqui do nosso vale, grato, te respondo. A ponte ajudou-me a elevar a Camellia do chão, pondo-a em movimento para melhor chegar ao poema, que funciona sempre em “ballon”, como se diz em dança, resistindo à força da gravidade, nos dois sentidos, o de peso e o de importância. Lá de cima vê-se tudo melhor, não se fica prisioneiro do pequeno pormenor sem importância. O clique para este poema deu-se quando encontrei uma camélia branca em pureza absoluta no caule de uma Camellia. Sozinha. Belíssima. E veio-me à mente a ideia de solidão aliada à ideia de beleza. E essa outra ideia de que o artista e amante é um ser solitário. Juntou-se tudo e deu este trabalho sinestésico. E é verdade que a ideia de ponte capta muito daquilo que é essencial na existência. Estamos sempre a atravessá-las, a passar para as outras margens. Por isso é tão importante nunca perder as raízes para não nos perdermos numa qualquer margem da imensa ponte que é a nossa vida. Bom, mas esta margem para onde reencaminhei, como tinha de ser, a Camellia é o Jardim Encantado onde tem (temos) raízes. E assim me vou encontrando com ela, num eterno retorno, aquele que a natureza nos dá. Ela, de resto, vive numa ponte, a que está entre o inverno e a primavera. Foi lá que a encontrei. Num tempo que também é um espaço, a ponte. Um lugar de trânsito. Obrigado pelas tuas palavras. São sempre belos incentivos, os teus comentários. Um grande abraço e que tenhas, tu e a Guida, umas excelentes férias vilacondenses.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s