Poesia-Pintura

O BEIJO


Poema de João De Almeida Santos.
Ilustração: "O Beijo". Original
de minha autoria para este poema.

"Dia Internacional do Beijo".
6 de Julho, dia que celebro,
com um poema, cada ano.  

Inspirado em "Lotte in Weimar"
(1939), de Thomas Mann, a obra
que continuou "Werther" (1774),
de Goethe, e no meu romance
"Via dei Portoghesi".
BeijoPub2021NvaVFinal

“O Beijo”. Jas. 07-2021.

LEITMOTIV

“O amor é o melhor na vida, assim, 
no amor, o melhor é o beijo –
Poesia do amor...”. “Beijo
é alegria,
procriação é luxúria”

Thomas Mann

 Inspirado também em:

 “Os beijos escritos 
não chegam ao destino,

mas são bebidos pelos
fantasmas ao longo
do trajecto”


Kafka 
“Se para te beijar devesse, 
depois,
ir para o inferno,
fá-lo-ia.
Assim, poderia
vangloriar-me,
com os diabos,
de ter visto o paraíso

sem nunca lá ter entrado”

Shakespeare
 “O primeiro beijo não é dado 
com a boca, mas com os olhos”

Bernhardt

POEMA – “O BEIJO”

FOI O QUE NUNCA
Te dei
A não ser
Com o olhar,
O primeiro,
Esse beijo,
Dei-to, pois,
Sem te tocar.

E DEI-TE MAIS,
Com palavras,
Quando olhar
Já não podia,
Foste embora
Para longe
E eu, triste,
Não te via.

FORAM BEIJOS
Que sonhei
Na rotina
Dos meus dias
E desejos
Que enfrentei
Quando tu mais
Me fugias.

MAS DOU-TE BEIJOS
Escritos
Que se perdem
No caminho
 E se me falta
O poema
Fico ainda mais
Sozinho.

O BEIJO
É emoção,
É razão
Descontrolada,
Se não for dado
A tempo
Pouco mais será que
Nada.

SEM BEIJO
Não há amor,
Sem amor
Perde-se o beijo,
A vida perde
Sentido
Se me faltar
O desejo
De na alma
Te beijar
Por assim te ter
Perdido.

AQUI O LANÇO
Ao vento
Pra que atinja
Como brisa
E suave melodia
Esse rosto
Que precisa
De afecto
Em poesia.

ESSE BEIJO
Que me falta,
De que nunca
Fui capaz,
Voa pra ti
Em palavras
Na sua forma
Mais pura
E desejo que,
No trajecto,
Voe, voe
A grande altura,
Que fantasmas
Não o bebam
E minha dor
Tenha cura.

MAS SEI
Dos escolhos
Da via,
Dos perigos
Que ele corre,
Capturado
Por fantasmas
É mensagem
Que me morre.

NO DIA DO BEIJO
É hora
De te cantar
Em voz alta
A poética do amor
Pra me redimir
Dessa falta
Com palavras
De poeta
Desenhadas para ti
Com mestria
De pintor.

E PORQUE O DIA
É teu
Ganha força,
Intensidade,
Mesmo que fantasmas
O bebam
É um beijo
De verdade.

ESSE BEIJO
Que não dei
Foi pecado
Original,
Hei-de sofrê-lo
Pra sempre
Como chaga
Corporal.

NÃO HÁ PALAVRAS
Que bastem
Pra repor
O que não dei,
Elas voam,
Mas não chegam
E mesmo assim
Eu tentei.

É CERTO QUE SEMPRE
O quis,
Só que nunca
To roubei,
A culpa foi desse tempo,
Dos dias em que
Te amei,
Um tempo em diferido
Sem presente
Nem futuro,
Talvez beijo
Sem sentido
Porque queria
Do mais puro,
Tangendo eternidade
Às portas
Do Paraíso,
Um beijo
De divindade,
Mas simples
Como um sorriso.

ESSE BEIJO
Impossível
Que não é do
Foro humano
Vou tentando
Construí-lo
Cada dia, cada ano,
Perdendo-me
Pelo caminho
Como sagrado
Em profano.
BeijoPub2021NvaVFinalrec

“O Beijo”. Detalhe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s