Poesia-Pintura

FUGAZ ENCONTRO

Poema de João de Almeida Santos
Ilustração: “Travessia”
Original de minha autoria
Fevereiro de 2022
Jas_Atravessia2002Pub1

“Travessia”. Jas. 02-2022

POEMA – “FUGAZ ENCONTRO”

ÀS VEZES
Passas
Por mim
Como vento
Intangível,
Sonho
Espectral,
Impossível,
E voas
Por entre os dedos
Dessas mãos
Com que te pintas...

VOAS, SIM,
Mas eu não sei
Se vais
Para o pontão
Deste cais
Donde sempre
Nós partimos
Para viagens
Fatais
À procura
D’infinito.

SOPRA-TE
O vento
Na alma?
Desenhas
Com ele
O teu rosto?
Ah, pareces
Triste demais
E é disso
Que eu não gosto.

NA RUA
Do desencontro
Encontrei-te
Apressada...
Fiquei feliz
De te ver 
Embora por um 
Instante,
Um pouco mais
Do que nada.

FIZESTE-ME
Renascer
De vaga
Melancolia...
.......
Imagina
O que seria
Se te visse
Duas horas
Ou te tivesse
Um dia.

AH, QUE DOCE
Sensação
Sentir saudades
De ti...
..........
Prevendo
Que não virias
Mesmo assim
Eu não parti
Tão grande
Era o desejo
De te encontrar
Por ali...

E FALEI-TE
Da minha janela,
Olhei, fascinado,
Pra ti:
“Minh’amiga
Como és bela...”
...........
Nem sabes
O que senti...

MAS, NUM SÚBITO
Ímpeto,
Disse pra mim:
"Eu não canto 
Esta cantiga
De te ver 
Tão pouco assim.
Vou-me embora,
Pois se te 
Encontro
Logo me foges,
Se te quero,
Não te procuro...
........
Eu vivo
Num intervalo
Que mais me parece
Um muro”.

AH, SIM, 
Entre ti
E os teus riscos
Eu estou
Entrincheirado,
Caminho só,
Em poemas,
Nunca passo
Deste lado.

Jas_Atravessia172002PubREC

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s