Poesia

COMO TE VEJO

Poema de João de Almeida Santos.
Ilustração: “Trono”. Original de minha
autoria para este Poema. Março de 2019.
Para ouvir o poema pela voz do autor:


Trono240319Final1

Trono. Jas. 03-2019

POEMA – “COMO TE VEJO”

COMO TE VEJO
Na minha imaginação?
Sentada num trono,
Hierática,
Sorriso formal,
Parca em palavras,
Muito bela,
Quase irreal...
.................
Como te sinto!

BELEZA FRIA,
Marmórea,
Pele desenhada
A rigor e
A cinzel
Por escultor
Que te perscrutou
A alma
Desnuda
Nos confins
Enigmáticos
Do teu ser.

FICOU-TE
A beleza
No perfil,
À superfície,
Onde ainda te
Vislumbro
Na cíclica
Neblina
Do meu olhar!

E CRIAS ROUPAGENS
De mil cores
Que descem
Do trono
E te gritam
Ao mundo,
Escondendo
A solidão
Da tua alma,
A queda
De um anjo
No poço fundo
De uma velada
Melancolia.

NÃO HÁ FUGA
Possível
Para o reino
Das formas puras
Quando falta
O sopro
Que anima
Os voos
Da fantasia
Para o infinito
De um espaço
Sideral.

MAS EU VEJO-TE
Sempre
Num trono
Dourado
Sentada na ilusão
De conquista
Do mundo
À medida que te
Vais gastando
Na voragem do
Tempo
Que te atira
Para fora
A vaguear
Na cidade
Em busca
Das formas
Perdidas...
......................
Para o teu mirífico
Reino.

SERÃO SÓ SINAIS
De fumo
Que se elevam
No horizonte
A anunciar-te,
Levados pelo vento
Que te sopra
Na alma,
E que clamam
Por atenção?

AH, COMO GOSTARIA
De os ler,
Os sinais,
Na exegese
De um oráculo
Promissor!

MAS O TRONO
Tem paredes subtis,
Leves e frágeis,
Tem rituais,
Tem ouro
E muito mais,
Tem cânticos
E tem vestais,
Orações,
Sacerdotes,
Musas
E catedrais...

E FICA LÁ EM CIMA
No Monte
Onde o ar é
Rarefeito
E os horizontes
Não têm fim
Porque tocam
A linha do infinito...
.....................
E turbam a alma!

ALGO ME DIZ
Que ao trono
Onde te vi
Não voltarás
Porque desceste
Ao vale
Chamada pelos arautos
Das formas vazias,
Apóstatas,
Timoratos
Da montanha
Sagrada,
Das vertigens
E das tonturas
Pela proximidade
Da sideral
E mágica
Abóbada celeste
Que nos arrebata
A alma.

A MONTANHA
Não se deixa subir
Duas vezes
Na procura de inspiração,
Sabias?
O trono muda
De cor
E de oficiantes,
Como se a vida
Lá em cima
Tivesse um único
Ciclo de tempo
Que não podemos
Abandonar.

SERÁ ESSE O TEU
DESTINO?
Não sei.
Mas na montanha
Há um trono
Onde nos sentamos
Uma única vez...

Trono240319FinalR

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s