Poesia-Pintura

 

AZUL

Poema de João de Almeida Santos.
Ilustração: “Paraíso”. Original
de minha autoria para este Poema.
Novembro de 2020.
Jas_Paraíso

“Paraíso”. Jas. 11-2020.

POEMA – “AZUL”

TANTO AZUL,
Meu deus,
O teu céu,
Esse imenso mar,
É espelho
Dos teus sonhos,
Medida
Do teu olhar.

O MEU É BRANCO
E cintilante
Para te alumiar,
Gotículas
De cristal
Que te acendam
A alma
Para melhor
Te guiar.

HÁ UM LEVE
murmúrio
De nuvens
Que cobre,
Como véu,
O silêncio
Que há muito
Ouço,
Insistente,
Bater-me
À porta
Levemente,
Como quem chama
Por mim.

E QUANDO NOS
SONHOS
Te vejo
Vestida de azul
Turquesa
Entro numa porta
Branca
E voo, voo,
A perder de vista,
Até ao paraíso,
Deixando para trás
O jardim
Inacabado,
Portão aberto,
Escancarado,
Bailéus desenhados
A rigor,
A preto e branco,
Onde um dia
Eu te vi,
Meu amor,
Num estranho
Enlace
Que nunca mais
Terá fim.

NOS SONHOS,
(Em todos eles)
Caio das nuvens
Brancas
Como Ícaro
Ou meteorito
Incandescente
E mergulho
No azul
Para te encontrar
Num arco-íris
Luminoso
Onde vives
Vestida de todas
As cores
Que povoam
As cidades
Invisíveis
Dos poetas...

É NESSE TEU AZUL
Profundo e
Denso
Que respiro
O que me sobra
De ti,
Nos sonhos escritos
E pintados
Com que te vou
Soletrando,
Insistente,
Até cair exausto
Para adormecer
E me sonhar
De novo
No regaço
Da tua alma...
..............
Pintada
A aguarela.

“Paraíso”. Detalhe.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s