Poesia-Pintura

LUZ

Poema de João de Almeida Santos.
Ilustração: “O Arbusto”.
Original de minha autoria.
Dezembro de 2021.
Licht5

“O Arbusto”. Jas. 12-2021

POEMA – “LUZ”

LUZ DO CÉU,
Tanta luz
Descia por uma
Fresta
No coração
Do arbusto,
Raio
Na escuridão
Que caíra
No poeta
Como noite
No jardim.

LUZ, MAIS LUZ,
Era o que sempre
Pedia,
Era luz que lhe
Faltava
Quando ela
Esmorecia
No seu olhar
Já cansado.

MAS ELA CHEGOU
Sob forma de poema
E  desenho
Esboçado,
Cores quentes e
Traços
Ao infinito,
Palavras
Murmurejadas,
Num movimento
Sem fim
Até a luz 
Se apagar
No arbusto
Do jardim.

LUZ, MAIS LUZ,
Insistia o poeta
Ao entardecer
De um dia
Quando a luz
Esmoreceu
E, com ela,
Também ele já
Se perdia.

ERA VIDA
Que findava,
Tempo
De despedida
Que cedo demais
Lhe chegava
E obrigava
À partida...

E A LUZ
Reavivou
Nas cores
E nas palavras
Que lhe saíam
Do peito
E do fundo
Da memória
Pra recriar
A preceito
Tudo aquilo
Que sobrou
De uma paixão
Sem glória.

SÃO POEMAS
Que lhe canta,
São cores,
São riscos
Com que desenha
A alma,
São sons
Dessas palavras
Com que
Escuta o seu
Silêncio,
É pauta de melodia
Que da tristeza
O resgata
Como secreta
Alquimia.

É ASSIM QUE
A luz
Regressa,
O arbusto
Ilumina
E sua alma
Tempera
Como harpa
Em surdina.

VOLTA, POIS,
Ao dia em que
Tudo começou,
Tropeça na
 Luz intensa,
Alumia a sua
Alma
E põe um fim
À tristeza
Dessa perda
Capital,
Descobrindo
Nos poemas
Remédio
Para o seu mal.

Licht5R

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s